Dicas para:
 

Como Ter Sucesso no Ensino à Distância

12 Maio 2020

O encerramento das escolas colocou professores, encarregados de educação e alunos perante uma situação nova para uma vasta maioria: o ensino à distância. O renascimento da telescola foi a solução encontrada para a transmissão dos conteúdos dos diversos anos de escolaridade, mas nesta fase ainda são mais as dúvidas do que as certezas sobre o sucesso da medida. Assistir apenas às aulas, contudo, não é suficiente. Há todo um trabalho que deve ser feito para que o impacto negativo da pandemia de covid-19 não se sinta também nos estudantes. As boas notas não caem do céu e, para se ser bem-sucedido no ensino/aprendizagem à distância, é necessário disciplina, comprometimento, organização e muita motivação de todos.


1. Traçar um objectivo

É muito importante que todos tenham em mente a razão pela qual estudam. Seja para aprender a ler e a escrever, no caso dos mais novos, seja para tirar boa nota num exame essencial para a entrada na faculdade, no caso dos adolescentes, ou para concluir o curso antes da entrada no mercado de trabalho. É o objectivo a curto, médio ou longo prazo que estimula o comprometimento.


2. Escolher área de estudo

Para se estudar não é necessário ter-se um espaço isolado do mundo. Basta que seja agradável, devidamente iluminado e com o menor foco de distracção possível. Pode perfeitamente ser apenas um cantinho da mesa da sala ou, embora menos recomendável, da cozinha. O fundamental é que se olhe para a área como uma (nova) sala de aula e que tenha apenas o essencial para a tarefa.


3. Criar uma rotina

O fim das aulas presenciais não tem de levar à quebra de rotinas de estudos. Pelo contrário. Quanto mais se facilitar nos horários, menos vontade existirá para estudar mais tarde. O ideal para os mais novos é que o horário de estudo seja de manhã, porque estão mais despertos e mais disponíveis para aprender ou para cumprir, dentro dos prazos, as tarefas que lhes sejam pedidas pelos professores.


4. Estar atento e fazer pausas

Esta é a maior dor de cabeça para grande parte dos pais: como manter as crianças atentas durante um tempo de estudo. Mas é natural que os alunos, nomeadamente os mais novos, se percam com as coisas que possam ter à sua volta em casa ao fim de algum tempo. Por isso, o “novo” professor deve identificar quando é o momento de parar antes de recomeçar. Por vezes basta uma pausa de dez minutos para se recuperar energias e voltar ao trabalho.


5. Não alimentar dúvidas

É de extrema importância que o estudante vá mantendo contacto com os professores, seja por videochamada, por e-mail ou mero contacto telefónico, para que possa esclarecer quaisquer dúvidas que possam surgir. Não se deve, em nenhuma circunstância, alimentar uma incerteza, sob pena de comprometer o entendimento de uma matéria. Se por alguma razão o docente não estiver disponível, nada como conversar com um companheiro que esteja mais à vontade no assunto.


6. Ser persistente

Lá porque os resultados num exercício ou num exame não foram tão positivos quanto esperava não quer dizer que tenha de desistir. O insucesso também é uma boa forma de aprendizagem, porque despertará o interesse por perceber a razão de algo não ter corrido tão bem. Seja persistente e lembre-se que, para se aprender a levantar, em primeiro é necessário cair.


7. Praticar, praticar, praticar…

A expressão “a prática faz o mestre” diz tudo. Por vezes é necessário repetir uma acção ou um exercício várias vezes para se atingir a perfeição. A leitura, a escrita ou o cálculo não se aprendem de um dia para o outro, pelo que aos mais novos é aconselhado a leitura regular de uma história, a cópia de um texto ou a realização de um problema matemático.

Partilhe este artigo: