Dicas para:
 

Como Exercitar o Seu Cérebro Sem Telemóvel ou Televisão

22 Maio 2020

A televisão, o telemóvel ou o computador são meios preferenciais para quem quer passar com alguma diversão estes tempos difíceis da quarentena e do dever de recolhimento domiciliário. Mas se sente falta de estímulos, há várias alternativas para exercitar a mente sem recurso a dispositivos electrónicos, sem mexer com a carteira. Aqui ficam algumas sugestões:


1. Palavras-cruzadas ou sudoku

Estes jogos são autênticos quebra-cabeças e muitas vezes transformam-se em verdadeiros enigmas para quem os tenta completar. As palavras-cruzadas são um clássico, mas o sudoku, embora seja mais recente, também já fez muito sucesso. São ambos exercícios de raciocínio que ajudam muito a renovar as conexões neuronais, ou seja, a exercitar o cérebro. No caso das palavras-cruzadas, existe ainda a vantagem de ficar a conhecer palavras novas.


2. Jogos de tabuleiro

Do famoso Monopólio ao xadrez, passando pelo Pictionary e pelo Trivial Pursuit, os jogos de tabuleiro são óptimos meios para interagir com todos os membros da família, que proporcionam momentos de grande diversão. Estimulam o raciocínio, a estratégia e a memória, para além de serem versáteis e de terem a grande vantagem de envolver pessoas de todas as idades, incluindo as crianças.


3. Leituras em dia

Ler um bom livro é uma actividade que, por si só, é capaz de activar várias áreas do cérebro, sendo que uma leitura mais concentrada poderá ainda ampliar esse efeito. Também estimula a memória e expande a capacidade da mente. Pode escolher ler em silêncio, com música ou mesmo em voz alta. Fazê-lo também o tornará um melhor ouvinte, pois a leitura traz efeitos benéficos na capacidade de escutar e na autoestima. Mesmo as leituras mais lúdicas despertam a curiosidade para algo em que nunca tinha pensado.


4. Puzzles

Construir puzzles é outra actividade que põe os cérebros de toda a família a funcionar. Começam por ser um conjunto de muitas peças que parecem não encaixar em lado nenhum, mas depois levam-nos a organizá-las de forma lógica e o resultado final pode ser recompensador. Permitem-nos utilizar sobretudo o raciocínio, mas também alguma criatividade. Fazer puzzles ajuda o cérebro a desenvolver novas conexões nervosas, aumentando a actividade cerebral e a nossa apetência para resolver problemas.


5. Incursões na cozinha

A culinária também pode ser uma boa terapia. Fazer experiências na cozinha, combinar ingredientes de forma livre, inventar e improvisar pratos ou sobremesas estimula o nosso lado criativo. Por outro lado, se seguir à risca uma receita vai desenvolver a capacidade de concentração e de rigor metodológico, como se estivesse a trabalhar num laboratório. Lembre-se de que há compras que pode fazer sem sair de casa, através dos supermercados online ou, por exemplo, do site descontos.pt.


6. Exercício físico

Como já deve saber, o exercício físico, além de trazer benefícios para a saúde, ajuda a pensar e a raciocinar melhor. Como diz o ditado, mente sã em corpo são. Realizar movimentos coordenados trará melhorias na aprendizagem e até prevenção de demências. A explicação científica é simples: o exercício físico aumenta o fluxo sanguíneo que vai para o cérebro, dando-lhe oxigénio e glicose, duas componentes preciosas para a atenção e concentração.


7. Dança

Dançar é uma arte e uma terapia, mas também pode ser benéfica para exercitar o cérebro, já que se trata de uma actividade estimulante para a memória. A dança requer saber de cor passos, memorizar a sequência entre eles e, ao mesmo tempo, manter a coordenação motora. Também é aconselhável para este período que vivemos, pois não precisa de sair de casa para dançar.

Partilhe este artigo: