Dicas para:
 

Como Aproveitar a Quarentena para Poupar

15 Maio 2020

A sociedade portuguesa começa paulatinamente a regressar à “nova” realidade, seguindo as regras e as três fases de desconfinamento decretadas pelo Governo, mas ainda são muitas as famílias que se encontram em casa em quarentena, teletrabalho ou que foram afectadas pelo lay-off. A pandemia deu origem a uma crise económica, levando à perda de rendimentos de muitos portugueses e criando uma preocupante incerteza em relação ao futuro, mas este período também pode ser bom para efectuar alguns reajustes no orçamento lá de casa. Um retoque aqui e acolá, por mais pequeno que lhe possa parecer em determinada área, pode acabar por ser muito importante na totalidade da poupança, que poderá ser utilizada para reforçar o fundo de emergência.


Identifique os excessos

Quem é seguidor regular do Dicas para Forretas sabe que o nosso conselho para perceber onde está a despender mais do que pode/deseja passa por elaborar um orçamento. De um lado as despesas essenciais, do outro as acessórias. Se o fizer, rapidamente chegará à conclusão que, estando em casa (seja qual for a razão), poupará em parcelas que de outra forma seria mais difícil, como as relativas à mobilidade (gasolina, passe de transportes públicos, etc.) e às refeições fora.


Reduza/Corte algumas mensalidades

Com os ginásios encerrados e as previsões de reabertura a apontarem somente para junho, o valor que está a pagar talvez não seja o mais ajustado. Tendo em conta que não pode usufruir dos serviços, procure informar-se se há uma possibilidade de deixar de pagar a mensalidade nesta fase ou, no mínimo, baixá-la. O mesmo se aplica às creches e infantários. Muitas já reabrirão para a semana, mas há quem ainda não se sinta totalmente confortável em enviar as crianças para estes espaços. Por isso, poderá tentar chegar a um acordo com a instituição para a redução do valor pago mensalmente.


Regateie os pacotes de televisão

Se estiver próximo do final ou não tiver qualquer período de fidelização a uma operadora de televisão, tente perceber se há forma de poupar alguns euros com este serviço. A caixinha mágica até pode ser uma boa fonte de distracção para quem está tanto tempo em casa, mas será que vai ver todos os canais que tem à disposição na grelha? Valerá a pena manter alguns canais premium subscritos, como a Sport Tv, a Benfica Tv ou a Eleven Sports, se o desporto se encontra completamente parado devido à pandemia de covid-19? Estas são perguntas que deve colocar a si próprio, porque a simples interrupção destes canais pagos será uma importante ajuda para as finanças.


Analise os créditos

O tempo que eventualmente terá não estando em teletrabalho poderá ser aplicado na análise dos créditos, independentemente do tipo. No caso do crédito habitação, que por norma é o que mais pesa na carteira dos portugueses, uma mudança de instituição bancária poderá resultar em mais alguns euros ao final do mês. Compare as condições que lhe oferecem neste momento, porque poderá encontrar spreads mais reduzidos do que quando contratualizou o empréstimo e até livrar-se de alguns dos produtos que lhe “impingiram” na altura (cartões de crédito, seguros de saúde e afins). Para quem não tem esta preocupação, mas está a contas com mais do que um crédito individual, a consolidação deste tipo de serviços pode revelar-se uma solução mais económica. Na internet encontrará alguns simuladores e promessas de reduções de até 60%, mas, nunca fiando, é melhor conversar directamente com algumas instituições bancárias.


Comprar o necessário

A necessidade das famílias de terem comida na mesa e as dispensas abastecidas mantiveram os hipermercados abertos em tempos de pandemia e levaram a uma série de mudanças. Uma delas foi no custo de alguns produtos. Devido à escassez de stock ou à intensa procura, alguns preços acabaram por subir sem que as pessoas se tivessem apercebido. Por isso, se não quiser gastar mais do que pretende, só tem um caminho a seguir: fazer uma lista antes de sair de casa, comparar preços de alimentos, aproveitar as promoções e adquirir apenas o essencial. Os excessos, lembre-se, podem sair-lhe caros.

Partilhe este artigo: